Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/18 às 16h49 - Atualizado em 18/06/18 às 13h51

Brasília sedia congresso de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes

COMPARTILHAR

Com o tema Outros Olhares, Reflexões e Práticas na Defesa dos Direitos Humanos Sexuais de Crianças e Adolescentes, começou nesta segunda-feira (14), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, o 2º Congresso Brasileiro de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Congresso Brasileiro de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes ocorre no Centro de Convenções Ulysses Guimarães até quarta-feira (16).

O evento marca ainda o aniversário de 18 anos da instituição de 18 de maio como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 

Até quarta (16), diversas atividades possibilitarão troca de experiências sobre a temática, em mesas-redondas, grupos de discussão e outras ações.

 

Na abertura, a representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Brasil, Florence Bauer, pontuou que a violência sexual afeta crianças de diferentes faixas etárias e classes sociais.

 

“Muitas vezes vem de uma pessoa que está muito próximo à criança, e isso faz com que seja tão difícil chegar a denunciar esses casos. Por isso, a prioridade é continuar a trabalhar para romper essa barreira do silêncio”, ressaltou Florence.

 

Também presente na mesa de abertura, a colaboradora do governo Márcia Rollemberg destacou que esse é um tema no qual deve ser envolvida toda a sociedade e citou ações de governo nesse sentido, como o programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília. Márcia falou ainda do Centro de Atendimento Integrado 18 de Maio.

 

O congresso brasileiro iniciado hoje é organizado pela Unicef, pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, pela Rede ECPAT Brasil e pela Universidade de Brasília (UnB). Entre os apoiadores estão o governo de Brasília e o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do DF.

 

Origem do 18 de maio
O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído pela Lei Federal nº 9.970, de 2000, em referência a um crime hediondo em Vitória (ES). Em 18 de maio de 1973, a menina Araceli Crespo, de 8 anos, sofreu violência física e sexual e foi brutalmente assassinada.

 

Maio recebe outras atividades em alusão à data nacional
Como parte do Criança Candanga, diversos eventos ocorrerão ao longo do mês, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 

As ações são promovidas pela Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude e pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do DF.

 

Na sexta (18), em parceria com o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), haverá blitz educativa, com ações de conscientização e distribuição de material informativo. O ato começará às 10 horas, no posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR-070, próximo a Águas Lindas.

 

Já no sábado (19), às 9 horas, haverá o Show pela Vida, com brincadeiras para as crianças e a participação de artistas locais voluntários. Será no Parque Ana Lídia, no Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek.

Além disso, a rede formada por grupos da sociedade civil e do governo local promove, desde o início de maio, uma série de ações pelo DF, como encontros, oficinas e palestras.

 

A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos também fará atividades, a exemplo de uma caminhada em Planaltina, na sexta (18), a partir das 7h30 na praça da EQ 11/15 do Setor Oeste.

Em Ceilândia, uma passeata terá início às 8 horas, com concentração no Terminal Rodoviário do P Sul. No dia 21, haverá uma oficina com famílias da assistência social da Estrutural e, no dia 25, uma ação de conscientização na Feira do Guará.

 

Por Agência Brasília