Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/12/18 às 16h52 - Atualizado em 4/12/18 às 16h52

Oficina de cinema melhora autoestima de jovens da Estrutural

Na última segunda-feira, 3, crianças moradoras do antigo lixão na Cidade Estrutural, de 12 e 18 anos de idade olharam para tela e viram a imaginação se transformar em filme, literalmente. A parceria entre a Sedestmidth e Secretaria de Segurança Pública fez com que 40 jovens cursassem nos últimos quatro meses uma oficina de cinema, sob a coordenação da SSP.  A secretária Ilda Peliz e a adjunta marta Sales participaram da entrega dos certificados, no auditório do CREAS da Estrutural.

 

Foram produzidos três curta metragens: “Para Salvar o Mundo”, o filme trata de um meteoro que cai na Cidade Estrutural e três amigos descobrem uma verdadeira ameaça à segurança mundial; “Luzia”, a luta de uma família contra dificuldades econômicas que só pioram e os sonhos são abandonados, e o último curta produzido é “Amizade (In) quebrável”, quando uma pipa se quebra, dois amigos descobrem que as amizades verdadeiras não se quebram tão facilmente. Para o coordenador das oficinas, Fauston da Silva, a produção de filmes com personagens que saíram do lixão é um ótimo mecanismo de expressão de arte, e vai mais além:

 

– Dentro da política da SSP voltada aos jovens que moravam no lixão, temos acima de tudo, o desenvolvimento da autoestima dos jovens, suas famílias e da comunidade da Estrutural que também se envolvem na produção, observa Fauston. A maioria destas crianças faz parte diretamente do Programa Caminhos da Cidadania, da Sedestmidh.

Caminhos da Cidadania.

 

O programa atende usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para a faixa etária de 15 a 17 anos e aborda de forma sistemática diversos temas fundamentais como: relações familiares, relação com a escola, relação na comunidade, relação de convivência com o grupo, promoção de relações afetivas, solidárias e de respeito mútuo, ampliação do universo informacional, artístico e cultural desenvolvimento de potencialidades, formação cidadã, autonomia e protagonismo social, compreensão crítica da realidade social e mundo contemporâneo, conhecimento do mundo do trabalho.

 

Os participantes receberão uma bolsa mensal no valor de R$ 190,00 (cento e noventa reais). O programa tem carga horária de 12 horas semanais. E tem duração de um ano, prorrogável por até mais um ano a partir da análise do educador responsável pelo coletivo.

________________________________________________

Por Carlos Britto